O crente fiel também sofre tentações e opressão

Texto: II Crônicas 32: 1-26



Introdução

Ezequias, no hebraico significa “Jeová é a nossa força”. Crente consagrado ao Senhor e como rei, simplesmente admirável. Sua história se encontra registrada no segundo livro dos Reis. O período que antecedeu o reinado de Ezequias foi marcado pela idolatria, tanto no reino de Judá como no reino de Israel. Em Israel reinava Oséias, que fez o que era mau aos olhos do Senhor, II Reis 17: 2. Acabou como escravo de Salmanasar, rei da Assíria, e depois todo Israel foi exilado por causa do pecado, e o rei da Assíria trouxe estrangeiros para habitar nas cidades de Samaria, riscando de sua presença a Israel. Acaz, por sua vez reinava sobre Judá e não fez como seus pais, mas andou pelos caminhos dos reis de Israel, II Reis 16:2, 3, chegou a pedir uma planta de um altar dos deuses da Assíria para construir um altar igual em Judá, v.10. Agora chegou a vez de Ezequias que sucedeu seu pai Acaz. Ezequias teve seu reinado marcado pela destruição à idolatria e fez o que era reto aos olhos do Senhor, II Reis 18 e por isso padeceu terríveis afrontas de Senaqueribe que até o ouro do templo levou para Assíria. Diante da opressão, Ezequias enviou uma mensagem ao Profeta Isaias pedindo auxilio, e disse: “Este dia é dia de angústia, de vituperação e de blasfêmia; porque os filhos chegaram ao parto, e não há força para os dar a luz” II Reis 19:3. E Isaias respondeu: “Assim diz o Senhor: Não temas as palavras que ouviste, com as quais os servos do rei da Assíria me blasfemaram. Eis que meterei neles um espírito, e ele ouvirá uma nova, e voltará para a sua terra; e a espada o farei cair na terra”. V. 6,7. Então Ezequias ora dizendo: “Agora, pois, Senhor nosso Deus, livra-nos da sua mão, para que todos os reinos da terra saibam que só tu, Senhor, és Deus” v. 19. Ezequias realizou muitas reformas políticas e religiosas que foram além de Jerusalém. Foi ele que destruiu a serpente de ouro feita por Moisés II Reis 18:4. Pois uma simples lembrança do livramento do Senhor no deserto havia se tornado objeto de adoração. Além disso construiu o túnel de Siloé, afim de preparar-se para a invasão da Assíria, II Reis 20:20. Quando começou reinar em Jerusalém, mandou abrir e purificar o templo, estabeleceu o culto a Deus e a celebração da Páscoa, regularizou as contribuições e o sustento dos Levitas e Sacerdotes. Com tantas boas realizações e fidelidade a Deus Senaqueribe se levantou como inimigo feroz para atacar Jerusalém, e Ezequias se preparou para enfrentá-lo.

I- As lutas do crente fiel

No caso de Ezequias e Judá o cerco se deu em Jerusalém, através de Senaqueribe, rei da Assíria. Mas em nosso caso, quando nos dispomos a ser fiéis ao Senhor, o cerco pode acontecer em nossa própria família, o inimigo ataca nossa família, tenta destruir nosso lar; em nosso colégio, enfrentamos grupos de zombadores; ou em nosso trabalho, criticas do patrão ou até mesmo dos colegas; na Igreja, o inimigo se levanta, enviando mensageiros com notícias que as vezes nos fazem desanimar. O inimigo sempre se levanta para interromper aqueles que estão se purificando, buscando ao Senhor, consagrando suas vidas ao Senhor “Depois destas coisas e destes atos de fidelidade”II Cron. 32:1. Assim como Senaqueribe estava em volta de Jerusalém tentando impedir que o povo de Judá prosseguisse em sua consagração ao Senhor. Temos que enfrentar muitas lutas a cada dia. Se queremos problemas é só orar e mexer, começar remover o pecado! Além dessas, temos ainda lutas no mundo espiritual, as pressões ou opressões espirituais. O apóstolo Pedro em sua 1ª carta recomenda: “Sede sóbrios, vigiai. O vosso adversário, o Diabo, anda em derredor, rugindo como leão e procurando a quem possa tragar; ao qual resisti firmes na fé, sabendo que os mesmos sofrimentos estão-se cumprindo entre os vossos irmãos no mundo” v.8,9.

II- Vencendo a opressão e o cerco


Ezequias percebeu algumas coisas que precisava fazer, algumas atitudes que precisava tomar, para vencer o inimigo: 1- Tapar as fontes que saciam a sede do inimigo.”Quando Ezequias viu que Senaqueribe tinha vindo com o propósito de guerrear contra Jerusalém, teve conselho com os seus príncipes e os seus poderosos, para que se tapassem as fontes das águas que havia fora da cidade” V.2, 3. Há coisas que são boas para o tempo de paz, mas no tempo de guerra fortalecem o inimigo. Não dê espaço para que o inimigo tenha motivo para apontar erros em sua vida. Não dê motivos para seu marido reclamar da Igreja! Não dê motivo para seus pais reclamarem da Igreja. Se você tem amigos que zombam de sua fé, não discuta mas se mantenha indiferente às acusações. Precisamos tapar todas as possibilidades que existem em nossas vidas para não alimentar o inimigo de nossas almas. Se há algum motivo pelo qual somos questionados precisamos ter maturidade para resolver isso. As vezes a língua, às vezes a roupas e as vezes o comportamento. 2- Restaurar os muros quebrados. “Ezequias, cobrando o ânimo, edificou todo o muro que estava quebrado” v 5 a Se queremos a vitória precisamos consertar os muros quebrados de nossas vidas, isso refere-se ao conserto das deficiências de nosso caráter. As vezes são pecados, as vezes coisas que você faz, dívidas que você contrai, compras sem condições de pagar, relacionamentos ilícitos, vícios; são brechas em sua vida que o inimigo entra e destrói você. É impossível ter vitória sem fechar as brechas de sua vida. Há certas coisas que fazemos ou comportamentos que temos que abrem brechas para o inimigo entrar. Mas as vezes estas coisas vêm como o cavalo de tróia, presente de gregos. Vem como um aparente presente! E abrimos as portas de nossa vida para receber, mas dentro desse presente há veneno, dentro do presente estão os inimigos. (A lenda diz que Paris, filho do rei Priano de Tróia, raptara Helena, esposa de Menelau, rei de Esparta, para se vingar Menelau formou um poderoso exército por Agamenon, sob o comando de Aquilis e Ulisses. O cerco de Tróia durou dez anos sem que pudessem entrar na cidade. Aí os gregos construiram um gigante cavalo e chegaram até a entrada de Tróia, depois insinuaram fuga deixando o cavalo. Os moradores de Tróia o recolheram para dentro da cidade. Durante a madrugada os soldados que estavam dentro do cavalo, saíram e tomaram a cidade, abrindo os portões para os gregos). Desafio você a encontrar nesta noite as brechas de sua vida, aquelas coisas que lhe trazem derrotas, e fecha-las em nome de Jesus. Pois “nosso maior inimigo vive dentro de nós”. 3- Precisamos erguer torres. “levantando torres sobre ele, fez outro muro por fora, fortificou a Milo na cidade de Davi” v. 5 b. (Milo, casa de Davi que tinha um terraço e servia como fortaleza). È necessário conhecer o território inimigo. Quem são nossos inimigos? Precisamos conhecer suas estratégias. “Precisamos perdoar…para que satanás não leve vantagem sobre nós; porque não ignoramos as suas maquinações” II Cor. 2:10, 11 Essa torre é um altar ao Senhor. Levantamos uma torre quando nossa vida é consagrada ao Senhor, quando nossos pecados são confessados, quando praticamos a Oração e o estudo da Bíblia. Torres são lugares de sentinelas, vigias, guardas. Muitas vidas estão com os muros derribados e sem as torres da vigilância. “Vigiai e orai para que não entreis em tentação. O espírito está pronto, mas a carne é fraca”. Precisamos construir torres de oração. 4- fazer armas e escudos. “E fez armas e escudos em abundancia” V. 5 c. As únicas armas do cristão fiel são: a oração, a fé e a perseverança. Efésios 6: 10 – 18. 5- Precisamos assumir a Teologia da guerra santa. “Sede corajosos, e tende bom ânimo; não temais, nem vos espanteis, por causa do rei da Assíria, nem por causa de toda multidão que está com ele, pois há conosco UM maior do que o que está com ele. Com ele está o braço de carne, mas conosco o Senhor, nosso Deus, para nos ajudar e para guerrear por nós. E o povo descansou nas palavras de Ezequias, rei de Judá” v.7, 8. É Deus quem peleja por nós e vencerá todos os inimigos.

III- Numa guerra há bombas e o inimigo lança bombas sobre nós

A maior estratégia do inimigo é nos fazer cair da fé. E ele usa uma bomba terrível, que tem prostrado muitos servos de Deus – A DÚVIDA. A pior coisa na vida de um crente é a dúvida sobre Deus e sua palavra e seu poder. Essa foi a arma usada sobre Judá. “Ele também escreveu cartas para blasfemar do Senhor Deus de Israel, dizendo contra ele: Assim como os deuses das nações das terras não livraram o seu povo da minha mão, assim também o Deus de Ezequias não livrará o seu povo da minha mão” v.17. Foi a dúvida que satanás lançou sobre Adão e Eva. 1- O inimigo põe duvida na razão da fé, no caráter de Deus. “Assim diz Senaqueribe, rei da Assíria: Em que confiais vós, para vos deixardes sitiar em Jerusalém?” 2- O inimigo põe dúvida sobre o poder de Deus. “Porventura, não vos engana Ezequias, para vos fazer morrer à fome e à sede, quando diz: O Senhor, nosso Deus, nos livrará das mãos do rei da Assíria?!” v. 11. É possível alguém crer em Deus mas não crer que ELE pode livrar. 3- O inimigo põe duvida quanto a fidelidade de Deus. “Esse mesmo Ezequias não lhe tirou os altos e os altares e não ordenou a Judá e a Jerusalém, dizendo: Diante de um só altar adorareis, e sobre ele queimareis incenso?” v. 12. Quando enfrentamos lutas, o inimigo sempre faz uma pergunta: Valeu a pena abrir mão de tudo para se dedicar a Deus? Tem valido a pena? 4- O inimigo põe duvida em relação ao poder do bem e do mal. “Não sabeis vós o que eu e meus pais temos feito a todos os povos de outras terras? Puderam de qualquer maneira os deuses das nações daquelas terras livrar a sua terra da minha mão?” v. 13. As evidencias do poder do mal aparecem atrofiando a fé, dando a entender que o mal é mais forte do que o bem.. Nesse ponto o inimigo já ri de nós, pois já incutiu em nosso coração que o mal prevalecerá sobre o bem e sobre nós. 5- O inimigo põe duvida sobre como Deus. “Qual é de todos os deuses daquelas nações que meus pais destruíram, o que pode livrar o seu povo da minha mão, para que o vosso Deus vos possa livrar da minha mão?” v.14. O inimigo quer nivelar nosso DEUS às pequenas divindades. Quando alguém começa a crer mais em profecias, profetas, em simpatias, em óleo, em recursos financeiros, poder político, em correntes, novenas, processos religiosos mais do que no TODO PODEROSO é porque sua já foi atingida por essa bomba – a duvida. E a única arma capaz de desarmar essa bomba da duvida é a fé alimentada pela oração.

IV- Mas numa guerra há também agentes secretos

A soberba é um agente secreto mandado pelo inimigo quando a batalha está quase vencida. Quando estamos livres dos inimigos e nos sentimos em paz, este agente ataca-nos enaltecendo-nos pelas nossas vitórias. “Assim o Senhor salvou Ezequias e os moradores de Jerusalém da mão de Senaqueribe, rei da Assíria, e da mão de todos; e lhes deu descanso de todos os lados. E muitos trouxeram presentes a Jerusalém ao Senhor, e coisas preciosas a Ezequias, rei de Judá, de modo que, desde então, ele foi exaltado perante os olhos de todas as nações” v.22, 23. Como reconhecer a soberba e livrar-se dela? 1- Cuidado. “Mas Ezequias não correspondeu ao beneficio que lhe fora feito, pois o seu coração se exaltou; pelo que veio grande ira sobre ele, e sobre Judá e Jerusalém” v. 25. Talvez abrigamos nosso maior inimigo justamente quando pensamos que não temos nenhum inimigo. Precisamos estar sempre alertas. 2- Humildade. “Todavia Ezequias humilhou-se pela soberba de seu coração, ele e os habitantes de Jerusalém; de sorte que a grande ira do Senhor não veio sobre eles nos dias de Ezequias” v. 26.A soberba habitualmente acompanha a prosperidade e a vitória; por isso precisamos ser cada vez mais humildes. 3- Reconhecendo a Graça de Deus. “Assim, o Senhor salvou Ezequias e os moradores de Jerusalém das mãos de senaqueribe” 22 a . A vitória e a prosperidade nos são dadas pelo Senhor. SUA GRAÇA E NADA MAIS.

Conclusão

Isaias leva uma mensagem da parte do Senhor ao rei Senaqueribe dizendo: “Portanto, assim diz o Senhor acerca do rei da Assíria: Não entrará nesta cidade, nem lançará nela flecha alguma; tampouco virá perante ela com escudo, nem contra ela levantará tranqueira. Pelo caminho por onde veio, por esse mesmo caminho voltará, e nesta cidade não entrará, diz o Senhor. Porque eu defenderei esta cidade para livra-la, por amor de mim e por amor do meu servo Davi” v. 32-34. “Sucedeu, pois, que naquela mesma noite saiu o anjo do Senhor e feriu no arraial dos Assírios 185.000; e, levantando-se os Assírios pela manhã cedo, eis que aqueles eram todos cadáveres”, v.35. E o próprio rei Senaqueribe foi morto por seus filhos, diante do altar de seu deus, v. 37. Deus nos ensina a vencer o cerco de nossos opressores; a desarmar as bombas da dúvida que os inimigos atiram em nossos corações; e nos livra do agente de satanás, a soberba. Cabe a nós aprender com sabedoria, fé, humildade, oração; e assim seremos servos vitoriosos, nunca desamparados pelo Senhor.

Pr.Cirino Refosco
cirinorefosco@pibja.org

2 Responses to “O crente fiel também sofre tentações e opressão”

  1. vitoria regia assis de azevedo 16. jan, 2010 at 13:25

    que maravilha essa ministração, que Deus abençoe tremendamente o pastor cirino refosco pela sua grande sabedoria, sou de macapá-ap ministerio betel. bjos….

  2. Pastor ,a páz de Senhor Jesus , que Deus continui te abeçoando pela sua grande sabedoria, sou de Ubá mg , congrego na Igreja Ministério Vida .


Warning: implode() [function.implode]: Invalid arguments passed in /home/storage/5/af/49/pibja1/public_html/extra/sermoesonline/wp-content/themes/headlines/single.php on line 85
mais sermões
anúncios